Rua onde mora o prefeito Rodrigo Neves é ocupada por manifestantes


Bem na foto. Rodrigo Neves conversa com os manifestantes
Foto: Divulgação / PMN

NITERÓI - Dez manifestantes ainda ocupam a calçada do prédio onde mora o prefeito Rodrigo Neves (PT), na Rua Duque Estrada, em Santa Rosa.
 Nesta segunda, o chefe do Executivo saiu de casa e foi conversar com o grupo que exige, entre outras medidas, a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Desabrigados e a retirada de votação do projeto de Operação Urbana Consorciada (OUC). Para abandonar a ocupação, os jovens exigem que o prefeito formalize, no papel, a promessa de atender as revindicações.
O movimento autointitulado “Ocupa Rodrigo Neves” é composto por jovens que ocuparam por mais de dez dias a Câmara Municipal. A pauta de revindicações também não mudou. Eles querem a criação da CPI dos Desabrigados do Morro do Bumba, a suspensão da Operação Urbana Consorciada (OUC), o fim do projeto Calçada Livre e dos contratos com as empresas de ônibus autorizadas na cidade, a aprovação do Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) para os professores da Rede Municipal e o Passe Livre.
Apesar de aparecer a vontade, o prefeito só desceu para conversar com os manifestantes quando secretários municipais, entre eles o de Segurança e Controle Urbano Marcus Jardim, e líderes comunitários aliados do também secretário Anderson Pipico chegaram ao local. Cercado da claque, o prefeito lembrou dos tempos de estudante universitário, quando participou da política estudantil, e sentou na calçada com os manifestantes.
Em nota distribuída pelo grupo nas rede sociais, os manifestantes reclamaram das interferências da claque governista:
“Um jornal fez uma reportagem aqui na ocupação. Quinze minutos depois, surgiram pseudos líderes de associação de moradores de diferentes bairros e comunidades, dos quais vários moradores desconheciam sua existência. Além disso, possuímos provas concretas de que muitos deles eram filiados ao PT. Trinta minutos depois, para a nossa surpresa, eis que aparece o Prefeito Rodrigo Neves para um "diálogo" com os ocupantes, porém, lideres de associações interferiram e atrapalharam a todo momento as negociações. Desta forma, reiteramos e repudiamos esse tipo de política reacionária que capitaliza pessoas para defender políticas que não agradam a população. Por fim, deixamos claro que adoraríamos que ocorresse um novo encontro com o Prefeito Rodrigo Neves, porém, um encontro legítimo e honesto e não "Mandrake" como foi organizada a tal "reunião" de hoje, cujo objetivo era promover sua política e não a de discutir os verdadeiros itens da pauta da ocupação que são de vital importância para toda a população de Niterói”
O prefeito voltou a explicar a situação da prefeitura que encontrou ao assumir o mandado, com dívidas de mais de R$ 600 milhões e salários em atraso, e acusou a oposição de distorcer o projeto da OUC do Centro, e que, segundo ele “ao contrário do que opositores têm divulgado, a nova lei vai reduzir, e não aumentar, o limite de construções ma região, além de garantir à municipalidade recursos suficientes para requalificar toda a área e direcionar novos investimentos para outros bairros de Niterói”.
— Hoje eu estou prefeito, mas os sonhos que eu tinha são da mesma época em que eu tinha a idade de vocês — afirmou o prefeito.
No encontro, que durou quase duas horas, Rodrigo Neves garantiu que vai buscar uma alternativa para os ambulantes do Largo da Batalha até que o novo Mercado Popular da região seja concluído. Já em relação à Cantareira, Rodrigo garantiu que os ambulantes cadastrados não serão retirados do local. E salientou que os demais ambulantes devem procurar a associação local e a Secretaria de Ordem Pública para se regularizar.
O prefeito também explicou ao grupo que o Getulinho será completamente reformado e se transformará numa unidade de referência materno-infantil. Na avaliação do Ocupa Rodrigo Neves, o prefeito ouviu todas as pautas, mas não deu garantias concretas. Eles exigem que as soluções sejam registradas em cartório.