Choque ‘sacode’ Comunidades da zona Norte

Choque ‘sacode’ comunidades

Quem pensou que o 12º Batalhão (Niterói) em resposta aos confrontos entre traficantes de comunidades da Zona  orte da cidade ficasse restrito apenas na ocupação por tempo indeterminado no Morro do Serrão, no Cubango, que começou na noite de terça-feira, se enganou. As ações para sufocar os ataques criminosos de facções rivais, que estariam em pé de guerra, foram estendidas na manhã de ontem para mais quatro comunidades: Vila Ipiranga (Fonseca), Buraco do Boi (Barreto), Lagoinha (Caramujo), e Nova Brasília (Engenhoca).
Até o início da tarde o saldo havia sido de um preso e uma jovem detida para averiguação, na Nova Brasília, durante confronto. Logo nas primeiras horas da manhã de ontem várias guarnições se subdividiram, e com apoio do Batalhão de Choque entraram nas quatro comunidades, passando a vasculhar becos, vielas, e matas à procura de criminosos. Na terça-feira policiais já haviam ocupado o Morro do Serrão, que estava envolvido numa violenta disputa pelo controle da venda de drogas com traficantes dos morros do Palácio (Ingá), Sabão e Boa Vista (São Lourenço). As três últimas comunidades passaram a ter vigilância redobrada, já que os confrontos registrados na 78ª DP (Fonseca) ocorreriam sobretudo entre o fim da noite e as madrugada dos fins de semana.
Durante as operações simultâneas de ontem, ao entrarem na Favela Nova Brasília os policiais foram recebidos a tiros por criminosos e houve revide e perseguição. De acordo com a polícia, Sidnei Eduardo Lins Soares, de 18 anos, teria enfrentado os policiais a tiros e depois fugiu e se escondeu na casa de uma jovem. Ainda segundo os policiais, Sidnei teria deitado numa cama, escondido a pistola embaixo do travesseiro, cobrindo-se em seguida. Porém, a polícia localizou e prendeu o acusado, apreendendo com ele uma pistola, calibre 45 municiada. O acusado foi conduzido para central de flagrantes da 77ª DP (Icaraí) e a jovem foi detida para averiguação e liberada.
Também numa mata, no interior da comunidade Nova Brasília, a polícia encontrou galões semi-enterrados (vazios) que segundo os militares serviriam para armazenar drogas. O fato foi relatado na delegacia. 
De acordo com o comandante do 12º Batalhão, tenente-coronel Gilson Chagas, a ordem é para que as ações continuem em Niterói. “Estamos com o apoio do Batalhão de Choque realizando diversas ações nas comunidades de Niterói, além de blitz em vários pontos da cidade com foco nas motocicletas, que estatísticamente são utilizadas pelos crimonosos. O objetivo é combater a criminalidade nessas regiões. Nossa ideia não é permanecer dentro das comunidades, mas sim vasculhar todas em um curto espaço de tempo”, explicou.