A MORTE DE GAGUINHO: TRÁFICO MEDE FORÇA COM A PM E FECHA COMÉRCIO EM SG

A MORTE DE GAGUINHO: TRÁFICO MEDE FORÇA COM A PM E FECHA COMÉRCIO EM SG

Traficantes do Completo da Coruja, em Neves, determinaram no fim da manhã de ontem o ‘luto forçado’ por três dias pela morte do criminoso Maicon dos Santos Souza, de 30 anos, o Gaguinho, líder do tráfico no conjunto de comunidades do bairro.
Apontado como um dos criminosos mais procurados da Região Metropolitana, Maicon deu entrada baleado, na tarde do último sábado, na Casa de Saúde São José dos Lírios, no bairro do Zé Garoto. Já no início da tarde de ontem comerciantes estabelecidos na Praça do Vila Lage, Covanca, Neves e ruas adjacentes teriam recebido ordens para fechar o comercio em sinal de luto. 
Atingido na veia femural, Gaguinho foi levado por familiares até a unidade hospitalar e depois de ser submetido a uma cirurgia para estancar uma hemorragia, acabou sofrendo três paradas cardiorrespiratórias e no fim da manhã, segundo fontes policiais sua morte cerebral teria sido confirmada. Por se tratar de um criminoso de alta periculosidade, para evitar uma possível tentativa de resgate a polícia reforçou o a vigilância na porta da hospital, com militares do 7º BPM (São Gonçalo), 12º BPM (Niterói) e do 25º BPM (Cabo Frio), todos ligados ao Comando de Policiamento do Interior (4º CPA). Nas primeiras horas da manhã de ontem a informação que circulava era que Gaguinho estaria em coma e respirando com ajuda de aparelhos. 
Embora a Polícia Militar tenha divulgado que teria ocorrido uma operação no complexo de favelas que Gaguinho comandava, não houve confirmação que o criminoso tenha sido baleado num suposto confronto. As duas versões que a Polícia Civil apurava ainda ontem seria a de que o líder do tráfico no Complexo da Coruja teria sido atingido na veia femural quando sua arma (uma pistola), que estaria na cintura, teria disparado acidentalmente. A outra hipótese (menos provável) seria de que um outro criminoso, que divide a liderança da venda de drogas na região com Gaguinho (o ‘nº 2’ na hierarquia), conhecido com o Pixote (Wallace Batista Soalheiro), teria promovido um golpe para tomar o poder. Até o início da tarde, nenhum boletim médico (oficial) foi emitido sobre o paciente.