Moradores do Fonseca assustados com onda de violência

Agentes da DH Rio assumiram a perícia e registraram o fato, mas como o crime aconteceu em Niterói, fora de sua jurisdição, o casso foi encaminhado para a delegacia da área. Foto: Maurício Gil

Nos últimos sete dias, quatro corpos foram encontrados dentro de carros abandonados próximos à Alameda. As duas comunidades são controladas pela mesma facção criminosa

Moradores do Fonseca estão assustados com a onda de violência. Nos últimos sete dias quatro corpos foram desovados dentro de carros abandonados próximo à Alameda São Boaventura, principal via do bairro. O último chegou ontem ao conhecimento de investigadores da 78ª DP (Fonseca). Ele foi abandonado no último dia 12, na Rua Duarte Galvão.
Na ocasião, policiais do 12º BPM (Niterói) resgataram um Renault que havia sido roubado no dia anterior. O veículo foi levado para o Pátio Legal, em Campo Grande, sem passar por perícia e só no depósito, ao vistoriarem o carro, é que agentes de trânsito encontraram o corpo de Leonardo da Conceição Galdino, o Gordinho, de 18 anos. Segundo a polícia, ele foi morto a tiros e deixado no porta-malas.
Agentes da Delegacia de Homicídios (DH) do Rio registraram o caso e encaminharam para a Delegacia do Fonseca, que ficará encarregada das investigações.Segundo agentes da distrital, Gordinho era morador da Favela do Sabão, no Centro, e um dos principais suspeitos de ter assassinado Karla Cristina Silva de Souza, de 37, também moradora do Sabão, encontrada morta também dentro de um porta-malas de carro. O veículo, um Voyage, foi abandonado no dia 11, na Travessa Dona Júlia. A polícia acredita que os dois casos tenham relação. “Gordinho pode ter sido morto com Karla ou em represália pela morte dela”, informou um investigador.
No último dia 14, dois homens foram assassinados e tiveram os corpos desovados dentro de um Novo Uno na esquina da Alameda com a Rua Santo Cristo. No dia 16, outro corpo, também de um homem, foi encontrado com marcas de tiro dentro de um Fiat Punto na Rua Magnólia Brasil, nas proximidades da Alameda, durante a madrugada.
Na Vila Ipiranga, suspeito é morto
Um homem foi morto durante confronto entre PMs do Destacamento de Policiamento Ostensivo (DPO) da Engenhoca e traficantes da Vila Ipiranga, no Fonseca. A troca de tiros ocorreu no início da tarde de ontem, durante operação para tentar localizar carros roubados.
Ao chegarem na Rua Conrado Barbosa de Souza, no alto da comunidade, eles se depararam com uma barricada montada pelo tráfico de drogas. Atrás dela, cerca de 10 homens armados começaram a disparar contra as viaturas. Houve intenso tiroteio e vários criminosos conseguiram fugir por uma viela, descendo a comunidade. Mas um suspeito - que segundo a polícia teria corrido para o outro lado - acabou cercado e morto com um tiro de fuzil no peito.
Com Douglas Couto, o Berilinho, de 19, foi encontrada - ainda segundo a polícia - uma pistola calibre nove milímetros. Uma ambulância do Corpo de Bombeiros foi chamada, mas quando chegou ao local o suspeito já estava morto. Peritos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) fizeram perícia no local e o corpo foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) do Barreto, em Niterói.
Segundo uma pessoa que se apresentou como irmão de Douglas, ele seria morador do Morro do Juca Branco, também no Fonseca.
Segundo a polícia, as duas comunidades são controladas pela mesma facção criminosa.
O caso foi registrado na Central de Flagrantes da 77ª DP (Icaraí).

Por: Marcelo Almeida O FLUMINENSE