Policial vítima de assalto no Barreto reage à bala e atinge criminoso

Policial Militar reagiu à assalto na Avenida do Contorno, no Barreto e um criminoso ferido durante confronto foi capturado. Bandidos armados estavam em motocicletas e fecharam o veículo do militar. Foto: Maurício Gil
Militar do Quartel General foi atacado por assaltantes de moto na Avenida do Contorno. Um suspeito acabou ferido e está internado sob custódia no Hospital Azevedo Lima

Um homem foi baleado no início da madrugada da última segunda-feira durante tiroteio na Avenida do Contorno, no Barreto. Segundo a polícia, quatro bandidos armados que estavam em duas motocicletas cercaram e tentaram roubar o carro de um motorista. A vítima, um agente lotado no Quartel General da Polícia Militar, no Centro do Rio, reagiu à bala, ferindo um suspeito.  
“Os criminosos estavam nas duas motos e fecharam o carro do militar, que estava com um VW Cross Fox prata. Sem desconfiar que a vítima era um policial, eles pediram que ela descesse do carro e entregasse também o que tinha de valor. O PM desceu do carro e assim que teve oportunidade, atirou contra os criminosos, que fugiram em direção à Praça do Barreto.
O agente, então, pediu ajuda de uma equipe do 12º BPM (Niterói), que realizou buscas pelas ruas do Barreto, conseguindo localizar o carro do colega abandonado na Avenida Professor João Brasil, na Engenhoca. O veículo foi recolhido e levado para a 77ª DP (Icaraí), onde o caso foi registrado.
Minutos depois, um PM que estava de serviço no Hospital Estadual Azevedo Lima (Heal), no Fonseca, informou que um homem tinha dado entrada vítima de disparo de arma de fogo, se dizendo vítima de assalto. A vítima foi até a unidade de saúde e reconheceu formalmente Jorge Luiz Ponciano da Silva, de 18 anos, como um dos homens que o abordou horas antes na Avenida do Contorno e levou seu carro.
O acusado acabou preso e segue internado sob custódia da Justiça. Segundo médicos, o estado de saúde dele é estável, mas inspira cuidados.

Medo – Moradores do Barreto reclamam dos constantes assaltos no bairro. Eles apontam a Avenida do Contorno como uma das vias mais perigosas da região, onde criminosos da Favela Buraco do Boi e de outras comunidades da região costumam realizar arrastões para assaltar motoristas.
No início de julho, bandidos do Buraco do Boi fecharam a Avenida do Contorno, para roubar motoristas e um casal que estava numa motocicleta acabou sendo baleado. 
A mulher, Raquel da Silva Pinto, de 21 anos, não resistiu aos ferimentos e morreu. No mesmo mês, a polícia identificou um dos suspeitos de matar a mulher. Ele teria trocado a Chatuba, no Rio, pelo Buraco do Boi, após a instalação de uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) naquela região do Rio.


Por: Marcelo Almeida O FLUMINENSE