Zona Norte em guerra. Traficantes das comunidades dos Marítimos e Nova Brasília entram em confronto novamente



A antiga e violenta rivalidade entre criminosos das comunidades Nova Brasília, na Engenhoca, e Marítimos, no Barreto, fez mais uma vítima inocente na manhã do último domingo, manchando com sangue a rotina dos moradores da localidade. A estudante Karoline Rodrigues de Souza, de 12 anos, foi atingida dentro de sua residência, durante um ataque criminoso. Moradores da comunidade estão aterrorizados e revoltados com a violência, que parece não ter fim. A morte da estudante está sendo investigada pela Divisão de Homicídios de Niterói, Itaboraí e São Gonçalo (DHNISG). O corpo de Karoline foi sepultado em clima de grande comoção, na tarde de ontem, no Cemitério do Maruí, no Barreto. 
Segundo informações, na manhã de domingo, traficantes vindos do Morro dos Marítimos, ligados à facção Amigo dos Amigos (ADA), efetuaram diversos disparos a esmo em direção à comunidade vizinha da Nova Brasília, onde o tráfico é controlado pela facção rival Comando Vermelho (CV). Os bandidos, segundo moradores que preferem não se identificar com medo de represálias, efetuam disparos de ambos os lados sem se importarem com os alvos.
Familiares explicaram que Karoline estava dentro de sua residência e se assustou com o barulho dos tiros. Quando tentou olhar pela janela de sua casa para saber o que estava acontecendo, a jovem de 12 anos, que cursava o Ensino Fundamental na Escola Municipal Infante Dom Henrique, na Avenida Professor João Brasil, foi atingida por um disparo na altura do peito. Ainda segundo informações, somente cerca de uma hora depois a vítima foi socorrida e levada para ao Hospital Estadual Azevedo Lima (Heal), no Fonseca, mas não resistiu ao ferimento e morreu. Policiais do 12º Batalhão (Niterói) explicaram que no momento da ação não havia nenhuma operação policial na região. As aulas na escola onde Karoline estudava foram suspensas ontem em sinal de luto. 
Parentes da jovem disseram que pouco antes de ser baleada, ela estava se arrumando para ir até a casa da avó. Segundo a mãe da adolescente, Darcilene Rodrigues de Souza, de 30 anos, Karoline chegou a ir até a porta de casa olhar para rua. Quando voltou, com a casa ainda aberta, um tiro entrou pela janela e atingiu o peito da jovem.
“Minha filha ainda chegou a dizer: mãe, tomei um tiro, mas estou bem. Estou bem”, afirmou Darcilene emocionada. Devido à intensa troca de tiros que se seguiu, a dona de casa não conseguiu deixar por algum tempo a residência para socorrer a filha, porque dava para ouvir os traficantes gritando que se alguém saísse de casa eles iriam matar. “ Eu moro na comunidade há mais de 30 anos, mas não consigo ficar nem mais um minuto aqui”, desabafou Darcilene. 
Policiais militares intensificaram o patrulhamento na região e até o fim da tarde de ontem nenhum acusado de envolvimento na morte de Caroline foi preso.
Há ano outra morte, 
uma menina de 13 anos
Em abril do ano passado, a polícia já investigava uma outra ocorrência trágica na localidade, por conta da disputa sangrenta entre traficantes da Nova Brasília e do Morro dos Marítimos. Na ocasião, a vítima foi a adolescente Ana Carolina Borges dos Santos, de 13 anos, atingida na cabeça por um tiro de fuzil, durante uma intensa troca de tiros entre traficantes das facções Comando Vermelho e ADA. Segundo fontes policiais, o confronto ocorreu durante uma tentativa de invasão de traficante da Nova Brasília ao Morro dos Marítimos. Também por ordem do tráfico, o corpo da adolescente teria sido removido da comunidade do Barreto, no carro de um morador, e colocado dentro de latão de lixo, na Rodovia Niterói-Manilha (BR-101). 
Na ocasião, segundo policiais, familiares explicaram que a jovem estava sentada junto ao portão de sua residência, na Rua Doutor Libório Seabra, quando foi alvejada na cabeça. Em seguida, traficantes ordenaram que o copro fosse removido e abandonado na BR-101. Também na ocasião foram presos Fernando Luiz de Souza da Silva, o “Negão”, de 27 anos, com uma espingarda calibre 12 e munição. Segundo os policiais, o preso afirmou que uniu-se aos traficantes de Nova Brasília para invadirem o Morro dos Marítimos.

Em 2010, jovem de 16 anos morre em confronto
Em 2010, um jovem morreu de forma trágica. Durante mais uma tentativa de invasão na comunidade do Barreto, um adolescente de 16 anos acabou baleado e morreu na Travessa Carmelina. Houve pânico entre os moradores. Segundo a polícia, traficantes do Comando Vermelho (CV) teriam tentado tomar o controle dos pontos de venda de entorpecentes dos Marítimos, onde se confrontam com rivais da facção Amigos dos Amigos (ADA). 
A intensa rivalidade entre criminosos das duas comunidades já se transformou em inquéritos instaurados na 78ª DP (Fonseca), onde segundo fontes policiais o líder da venda de drogas na Nova Brasília, conhecido como Pão do Ovo, mesmo depois de já ter cumprido pena por tráfico, estaria de volta à atividade criminosa, tentando de forma repetitiva tomar a comunidade vizinha do Marítimo. Além desse crime, segundo os policiais, Pão com Ovo também é investigado por envolvimento no atentado que resultou na morte do sargento do 12º Batalhão, Joilson da Silva Gomes, em fevereiro desse ano, nas proximidades do Morro do Castro.