Carcaças de embarcações na altura do viaduto do Barreto estão com os dias contados

Retirada das carcaças de embarcações permitirá que cronograma das obras seja cumprido por concessionária. Foto: Lucas Benevides 

Decisão da Justiça para retirada de carcaças de embarcações, na altura do viaduto do Barreto, permitirá continuação das obras de duplicação

A Justiça autorizou a retirada de carcaças de embarcações do estaleiro Chamon, na altura do viaduto do Barreto, às margens da Avenida do Contorno, para que as etapas da obra de alargamento da via possam continuar no local. Segundo a Autopista Fluminense, concessionária responsável pela obra, com a decisão o cronograma de entrega do projeto, que é para fevereiro de 2015, será cumprido. Os objetos impediam o trabalho que agora avança para a etapa de terraplanagem, estágio que antecede o asfalto, na localidade conhecida como trevo do Barreto. 
A decisão na Justiça previa que o estaleiro retirasse o material até o fim do mês passado. Caso a decisão fosse descumprida, a própria Autopista Fluminense estaria autorizada a realizar o trabalho.
“Ganhamos a causa no início de julho. A determinação da Justiça foi de que o estaleiro retirasse as coisas em um prazo de 18 dias, o que não aconteceu”, conta Edmundo Régis Bittencourt, diretor de operações da concessionária.
A obra passará agora por etapas de entroncamento, próximo ao viaduto do Rio Maruí, onde blocos de concreto serão colocados no solo para que as máquinas possam realizar o trabalho das fundações com segurança. 
O projeto prevê ainda a construção de uma área de lazer com quadra poliesportiva, em frente ao Estaleiro Aliança, além de um prédio para a associação de moradores do bairro. 
Iniciadas em fevereiro de 2013, as obras da Avenida do Contorno estão orçadas em R$ 65 milhões. A avenida é uma das principais vias da cidade, ligando os municípios de Itaboraí, São Gonçalo e Niterói, e tem pelo menos dois quilômetros e meio de extensão. A construção foi planejada para diminuir os transtornos causados pelos engarrafamentos, principalmente no horário da manhã e início da noite. O planejamento prevê quatro faixas de rolamento no sentido Niterói e outras quatro no sentido São Gonçalo.

Por: Cícero Borges   O Fluminense