Líder do Marítimos é preso quando saía de casa noturna

Acusado pela polícia de ser o líder do tráfico no Morro dos Marítimos, no Barreto, e de envolvimento em homicídios, Alex Sandro Duarte Ferreira, o Dinho, foi preso na madrugada de domingo passado, quando curtia uma ‘balada’ numa conhecida casa de shows, no bairro Parada 40, em São Gonçalo.
Agentes da Polícia Civil adiantaram que o acusado, um dos mais procurados de Niterói, foi surpreendido por agentes da Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas (DRFC) no interior da casa noturna. Segundo os agentes, com Dinho foi apreendida uma pistola calibre 380.
Fontes policiais adiantaram que Dinho seria ligado à facção criminosa Terceiro Comando Puro (ADA) e possuía (até bem pouco tempo) dois mandados de prisão expedidos pela Justiça, que haviam sido representados pela Delegacia do Fonseca (78ª DP) e Divisão de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSG). Na DP do Fonseca Dinho estava sendo alvo de uma investigação sobre a violenta rixa entre traficantes do Morro dos Marítimos e rivais da comunidade Nova Brasília, na Engenhoca, esta ligada ao Comando Vermelho (CV), e liderada por outro criminoso procurado pelas polícias Civil e Militar, Luiz Cláudio Gomes, o Pão com Ovo.
No dia 8 de junho desse ano, mais uma vez por conta da antiga e violenta rivalidade vitimou a jovem estudante Karoline Rodrigues de Souza, de 12 anos. Ela foi atingida dentro de sua residência, durante um ataque criminoso que teria partido do Morro dos Marítimos. O fato passou a ser investigado pela DNHSG, e uma testemunha registrou em vídeo o ataque, que segundo a polícia foi comandado por Dinho. Os marginais teriam efetuado vários disparos na direção da comunidade vizinha e familiares da jovem afirmaram que Karoline foi atingida dentro de sua própria residência. Na ocasião, a especializada representou na Justiça pela prisão de Dinho e outros cúmplices. 
Um ano antes outra jovem, identificada como Ana Carolina Borges, de 13 anos, foi morta com tiro durante uma outra tentativa de invasão, dessa vez de criminosos oriundos da Nova Brasília ao Morro dos Marítimos. Na ocasião, um morador foi obrigado a transportar o cadáver da comunidade até as margens da Rodovia Niterói-Manilha onde foi deixada. Fontes policiais garantiram ainda que Dinho responderia a pelo menos mais dois inquéritos por homicídio e tráfico, na 3ª Vara Criminal de Niterói e deve representar mais uma vez pela Prisão Preventiva do acusado.


Por Atribunarj