Alunos da Escola Técnica Estadual Henrique Lage são destaque na maior feira de ciências e tecnologia da América do Sul

Com a orientação do professor Altair Martins, estudantes do Henrique Lage, no Barreto, levaram três projetos para a Mostratec, considerado maior evento do gênero na América do Sul. Foto Lucas Benevides

Mostratec – A feira realizada em Novo Hamburgo, Rio Grande do Sul, é referência internacional entre as feiras do gênero, reúne jovens cientistas entre 14 e 20 anos de idade. 

Na edição deste ano, 370 projetos foram apresentados, distribuídos em 13 diferentes áreas, de Ensino Médio e Técnico. 
A Mostratec Júnior contou com outros 112 projetos, de alunos do Ensino Fundamental. No evento também ocorre o Seminário Internacional de Educação Tecnológica  (Siet), os Jogos Mostratec e o Festival Mostratec de Robótica educacional.
Este ano três projetos de jovens cientistas da Escola Técnica Estadual Henrique Lage, no Barreto, foram destaque na Mostra Internacional de Ciência e Tecnologia (Mostratec), realizada em Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul. Entre 25 trabalhos de eletrônica, um sistema veicular para monitoramento de emissão de monóxido de carbono, desenvolvido pelos alunos Ewerton Vasconcelos da Silva, de 17 anos, e Caio Ribeiro Cavalcante, de 18 anos, conquistou o terceiro lugar na competição, que reuniu estudantes do mundo inteiro. 
O projeto consiste em captar o volume de monóxido de carbono existente no interior dos veículos a fim de conscientizar os motoristas, evitando possíveis danos à saúde e a poluição do meio ambiente. 
 O quarto lugar foi para o projeto de uma caixa inteligente para armazenamento de resistores, desenvolvido pelos alunos, Matheus Busquet Devillart, Guilherme das Neves Fernandes, André Felipe Brasil Postiga e Juan Coutinho. 
O equipamento foi criado para organizar os resistores que são usados em aula, a fim de facilitar e agilizar a procura dos dispositivos que antes eram armazenados em um mesmo espaço. Com a caixa inteligente, qualquer pessoa pode encontrar o resistor desejado com maior facilidade e em menos tempo. 
Este projeto também foi um dos escolhidos na feira, para representar o Brasil na Expocientec, que acontece no Paraguai.
Também foi apresentado na mostra o “Dispositivo áudio informativo 2: a democratização da cultura”, dos alunos Luiz Phillip Quintanilha da Silva e Ingrid de Paula da Silva Oliveira. O equipamento, na verdade um sensor de presença que pode ser usado próximo a monumentos culturais, aciona um transmissor via rádio informações sobre a obra. Com isso, qualquer um de posse de celular, rádio ou outro dispositivo com receptor de rádio FM pode captar o conteúdo.
Todos os projetos foram orientados pelo professor e coordenador do curso de eletrônica, Altair Martins dos Santos, de 49 anos.
“Eu faço o acompanhamento de todos os projetos. Eles trazem a ideia e antes de desenvolverem, eles fazem pesquisas profundas sobre o assunto, pois antes da eletrônica vem o conhecimento sobre o assunto. Eu supervisiono o tempo todo, desde a origem da ideia até o relatório final e as apresentações em feiras. Para mim é muito gratificante ajudar na formação desses futuros profissionais da eletrônica”, ressaltou o professor Altair, lembrando que os estudantes ganharam certificados e medalhas pelas boas colocações na Mostratec. 
“O aluno que faz projetos tem um diferencial, pois o projeto é uma experiência profissional. O projeto aguça o senso crítico deles, a responsabilidade e o conhecimento que eles adquirem além da sala de aula”, completou.
Os alunos reconhecem a importância em participar de um grande evento e destacam a experiência adquirida na Mostratec.
“Para crescer com o nosso projeto, recebemos muitas instruções dos avaliadores e adquirimos também troca de experiências culturais, pois na feira, conhecemos outros alunos de escolas do Brasil e do mundo. É uma sensação que não conseguimos descrever, foi muito bom para o nosso conhecimento profissional e com a terceira colocação nos incentivou ainda mais a seguir com nossos objetivos”, declarou o estudante Caio Ribeiro Cavalcante.

Por: Poliana Couto    O Fluminense