Em breve, obras de infraestrutura no Hospital Orêncio de Freitas no Barreto

PREFEITURA IRÁ REFORMAR UNIDADE DE SAÚDE NA ZONA NORTE
Um projeto de obras de infraestrutura da Prefeitura de Niterói agraciará o Hospital Orêncio de Freitas, no Barreto, referência em cirurgias gastrointestinais em todo o Estado.
A unidade que passa por alguns problemas, tais como: parte externa deteriorada, prédio antigo desativado, papelões nas janelas, telhado quebrado, falta de medicamentos e grade de funcionários limitada; receberá um pacotão de obras. Entre os problemas da unidade, alguns deles já foram sanados – a reativação do Centro de Tratamento intensivo (CTI) e a troca do aparelho de ultrassonografia. Há estudo para contratação de novos profissionais para o quadro médico.
A prefeitura informou que as próximas obras serão na rampa de acessibilidade entre os andares para atender aos usuários, reforma do telhado do prédio antigo e do telhado do ambulatório, salas e consultório médico, reforma da unidade transfusional, de três enfermarias do prédio antigo, cozinha, da antiga área administração e área para o centro de estudos e a Comissão de Residência Médica (COREME).
Algumas mudanças já começaram a ser vistas pelos próprios funcionários do local. “Alguns problemas já foram solucionados como a reativação do CTI e a troca do aparelho de ultrassonografia. Porém esse último não é suficiente para a demanda. As vezes faltam medicamentos e a fila para cirurgia está enorme. Tudo isso dificulta o profissional trabalhar”, explicou um funcionário que preferiu não se identificar. 



Sobre o material, a prefeitura informou que o hospital está abastecido e não há falta desse. Já sobre o quadro de funcionários o órgão informou, em nota, que está regularizado de acordo com os serviços atuais, porém existe um projeto de ampliação dos serviços e onde serão feitas novas contratações.
Apesar das pequenas melhoras, o presidente do Sinmed, Clóvis Cavalcanti, informou que recebe reclamações de médicos que trabalham na unidade de saúde constantemente. “Os médicos denunciam os problemas do hospital como sucateamento de objetos básicos para o trabalho. A estrutura para o atendimento está obsoleta e o prédio está basicamente abandonado, o que é lamentável”, explicou. 
A solução proposta pelo presidente da entidade para melhorar essa situação é o Governo do Estado assumir a administração da unidade. “Não adianta fazer maquiagem no hospital. Ele deve ser inteiramente reformado e ter toda a sua administração revista. Os profissionais de saúde e a população sofrem e esperam uma iniciativa de algum lado”, finalizou Dr. Clóvis.

Por Raquel Morais  AtribunaRj