Praça do Barreto pede socorro


Uma praça vem sofrendo com seguidos ataques de vândalos que tem causado a insatisfação de moradores do bairro do Barreto, Zona Norte de Niterói. O local está com as mesas fora do lugar, lixeiras cheias gerando uma grande quantidade de lixo no chão, luminárias quebradas, além de sofrer com a ação de pichadores há pouco mais de um ano da sua inauguração.
A situação da praça, localizada na esquina entre a Rua Guimarães Júnior, com a Avenida Dr. Luiz Palmier, próximo a Escola Técnica Henrique Lage, incomoda a quem tem a intenção de usufruir dos benefícios do local, mas é impedido pela ação de vândalos.
“A praça é nova e ainda está bonita. Mas infelizmente essas pessoas vem pra cá e picham e destroem as estruturas. Já vi muitos usando drogas por aqui. E a maioria deles jovens. Não duvido que sejam os mesmos que destroem a praça. Eles tiraram até os tampos da mesa. É um absurdo”, reclama o administrador de empresas, Rogério Brito, de 47 anos.
Acostumada a levar o filho de dois anos para brincar na praça, a fisioterapeuta Marcelle Batista, de 37 anos, diz que tem diminuído a frequência depois que os problemas se agravaram.
“À noite os riscos aparecem e a sujeira passa a não ser o único inimigo. Aqui tem policiamento, mas como nem todas as luminárias estão funcionando, a iluminação fica deficiente ocasionando a ação de criminosos. Outro grande incômodo é a quantidade de lixo. Mesmo com lixeiras, algumas pessoas preferem descartar coisas no chão. Infelizmente a falta de cuidados da população é o maior problema”, relatou ela.
A Companhia de Limpeza de Niterói informou que as papeleiras quebradas serão recolocadas e as pichações removidas. Já a Secretaria de Conservação e Serviços Públicos disse que tem uma equipe trabalhando no local e ressaltou que ato de vandalismo contra o patrimônio público é crime e caso presenciado deve ser denunciado à Polícia Militar. 
O subcomandante do 12º BPM (Niterói), major Silveira, explicou que o patrulhamento no local é feito por meio de rádio patrulha e o Regime Adicional de Serviço (RAS), onde policiais voluntários são utilizados.
“Estamos implementando agora o serviço de moto patrulha, que dará ainda mais dinamicidade ao policiamento. Nós já patrulhamos o bairro rotineiramente e vamos continuar com as ações na região”, afirmou ele.

Por Guilherme Peixe Atribunarj