Niterói terá 650 câmeras para monitoramento dos bairros

NITERÓI TERÁ 650 CÂMERAS PARA MONITORAMENTO

Além das 500 câmeras que serão instaladas com o Centro Integrado de Segurança Pública (Cisp), Niterói já conta com mais 150 câmeras de segurança instaladas pela ONG Viver Bem. O objetivo da organização é simples: trazer mais sensação de segurança e proporcionar serviços simples para a população. Os equipamentos foram instaladas nos bairros do Centro, Ingá, Icaraí, Charitas, São Francisco, Jurujuba, Largo da Batalha e Itaipu, e possuem gravações de imagens em High Definition (HD). O projeto conta com a ajuda da empresa de segurança KeepTech e busca apoio público. A instalação das câmeras custou à ONG cerca de R$ 5 milhões. O custeio de funcionários, carros que prestam socorro, entre outros serviços, custa cerca de R$ 30 mil por mês.
A ideia de “sitiar” a cidade surgiu depois de uma experiência ruim vivida por Felipe Reis. Ele foi assaltado e não havia ninguém na rua para o ajudar. O idealizador sofreu de Síndrome do Pânico durante um ano, se reergueu e decidiu ajudar pessoas.
“O projeto Vivem Bem não tem fins lucrativos. A gente colocou câmeras para causar bem estar e segurança nas pessoas. Niterói precisa de todo tipo de ajuda. No Facebook me questionam uma série de coisas, como quem permitiu filmar, mas não temos o interesse de atrapalhar ninguém e sim ajudar. Quando tem um acidente, por exemplo, avisamos através de ligação ao Corpo de Bombeiros, NitTrans e Polícia Militar”, comentou o presidente da ONG, Felipe Reis de Almeida.
As câmeras que filmarem acidentes, por exemplo, podem ajudar no envio de informações para o Corpo de Bombeiros, NitTrans e Polícia Militar e Civil. O comandante do 12ºBPM (Niterói) comentou que toda ajuda é bem vinda.
“Acho que toda forma de monitoramento é importante. A Polícia Civil já se vale de muitas câmeras em comércio e nos prédios. Câmeras de segurança só tem a agregar”
O presidente da NitTrans, Paulo Afonso, aprovou a instalação das novas câmeras para ajudar com informações sobre acidentes de trânsito.
“Os projetos do CTA (Centro de Tráfego por Área) e CISP (Centro Integrado de Segurança Pública) deverão instalar câmaras em toda cidade também. O primeiro está em fase de execução e o segundo, em construção, em Piratininga. No entanto, são muito bem-vindas as câmeras da ONG Bem Viver, porque ajudam já agora o trabalho de operação de trânsito e de transporte.”
O presidente da ONG comentou que as câmeras não interferirão na privacidade de ninguém. Além de ajudar informando casos de crimes, acidentes e carros enguiçados, por exemplo. As câmeras ajudarão a informar incêndios em matas em locais como no Parque da Cidade, em Charitas.
“São câmeras inteligentes. As câmeras que temos não chegarão nos apartamentos para não acabar com a privacidade das pessoas. Mas, pega placas de veículos, rostos. Vamos tentar instalar câmeras no Parque da Cidade para pegar queimadas. Mas, ainda estamos aguardando autorização”, disse.

Projeto Social - A ONG também criará um projeto social para inclusão digital de jovens de baixa renda. O curso será ministrado na sede da empresa na Rua São João. Mas, o projeto enfrenta um problema: falta de apoio. Não há ajuda financeira para custear todos os serviços prestados.
“Vi que o projeto estava me causando alguns problemas estão dei uma freada, mas até fevereiro devo ativar todas as câmeras de segurança. Temos um apoio muito bom da NitTrans, Secretaria de Esportes, Secretaria de Conservação Pública”. 

Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) – Além das câmeras instaladas O Cisp, que integrará todas as forças de segurança presentes no município, contará com 500 câmeras para monitorar todos os bairros de Niterói durante 24 horas Com investimentos de cerca de R$ 7 milhões, sendo R$ 3,5 milhões do governo federal e o restante do município.


Por Aline Balbino    AtribunaRj