BRTs ?

Resultado de imagem para BRT


O projeto da rede de BRTs que substituirá a 
Linha 3 do metrô, fazendo a ligação entre 
Niterói e São Gonçalo, está cada vez mais 
próximo de se tornar realidade.
Segundo o secretário de Estado de 
Transportes, Carlos Roberto Osorio, a 
alternativa que visa construir um modal de alta capacidade na região é vista 
com bons olhos pelo Governo do Estado, já que atenderá a um número maior de 
pessoas na Região Metropolitana, com um custo total de R$ 1,7 bilhão. Valor 
esse bastante inferior aos R$ 3,9 bilhões orçados inicialmente pelo monotrilho.

De acordo com Osorio, o objetivo é construir vários corredores expressos no 
Leste Metropolitano, ligando Niterói ao distrito de Manilha, em Itaboraí, passando 
por São Gonçalo, através de duas linhas. A primeira utilizará o traçado previsto 
para a Linha 3 do metrô, partindo do Centro de Niterói e seguindo até Alcântara. 
O outro seguirá pela RJ-104, passando pela Alameda São Boaventura, até fazer 
conexão com a outra linha em Alcântara.
“Esse da RJ-104 terá ainda duas vantagens. A primeira delas é a conexão com a 
RJ-106 para quem vem de Maricá, com terminal de integração em Tribobó, e pra 
quem vem de Itaboraí com terminal de integração em Manilha. Nossa proposta é 
a substituição de um monotrilho que carrega o mesmo número de passageiros 
que o BRT, por um sistema de duas linhas”, explicou Osorio.
O secretário explicou ainda que monotrilho da Linha 3 teria 22 quilômetros de 
extensão. Com a mudança para o conjunto de BRTs, serão 46 km de extensão, 
que atenderão ao invés de 229 mil, cerca de 310 mil habitantes, nos municípios 
de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e Maricá, por um custo bastante inferior.
“Não teremos problemas com mais gastos, pois todos já foram incluídos no custo 
de R$ 1,7 bilhão. Orçamos inclusive as desapropriações necessárias em ambos 
os trajetos, já que parte do leito foi invadido”, finalizou Carlos Roberto.

Melhorias na BR-101
O secretário de Estado de Transportes afirmou ainda que em breve serão 
iniciadas discussões para possibilitar a chegada de novas melhorias às estradas 
federais que dão acesso ao Estado do Rio de Janeiro, como a BR-101. Segundo a 
concessionária Autopista Fluminense, responsável pela administração da via, 
novas faixas de rolamento serão incluídas ao longo da via, de forma a eliminar 
os gargalos no trânsito.

Por Guilherme Peixe      AtribunaRj