Manhã de trânsito intenso nas principais vias de Niterói

Acidente na Marquês do Paraná deixou o trânsito ainda mais complicado para quem seguia sentido ao acesso a Ponte. Foto: Reprodução Facebook/ Edna Carvalho
Foto: Edna Carvalho

Primeiro dia útil, após o feriado prolongado, é de fluxo intenso sentido Centro de Niterói. Travessia da Ponte chega a 32 minutos e BR-101 apresenta seis quilômetros de lentidão

O primeiro dia útil, após o feriado prolongado do Dia do Trabalhador, é de trânsito intenso em Niterói. Quem segue em direção aos acessos a Ponte Rio-Niterói encontra retenção na Alameda São Boaventura, na Avenida Jansen de Melo e também na Avenida do Contorno, na BR-101. Mais cedo, um acidente envolvendo um ônibus e quatro veículos de passeio na Rua Marquês de Paraná, no Centro, na altura do Hospital Universitário Antonio Pedro, deixou a via com faixas internditadas por cerca de 20 minutos.
Segundo a Niterói Tranporte e Trânsito (NitTrans), o acidente aconteceu por volta das 6h, na pista sentido Rio de Janeiro. Na colisão, envolvendo um coletivo e quatro carros, um dos veículos capotou e ficou atravessado na pista. Uma pessoa ficou ferida e precisou ser socorrida pelo Corpo de Bombeiros e encaminhada para o Hospital Estadual Azevedo Lima (Heal), no Fonseca.
Ainda de acordo com a NitTrans, o trânsito foi completamente liberado por volta das 7h e agentes de trânsito permanecem no local orientando o fluxo de veículos, que é intenso.
Retenção também na Alameda São Boaventura, no Fonseca, para quem segue sentido Centro de Niterói. A lentidão vai até o bairro de Tribobó, na divisa de Niterói e São Gonçalo, ficando o trânsito ainda mais complicado próximo ao acesso à Ponte.
Já na Ponte Rio-Niterói, o excesso de veículos e as obras realizadas na Avenida Brasil deixam o trânsito lento dos acessos até a saída para a avenida. Segundo o boletim da CCR Ponte, o tempo médio de travessia já chega a 32 minutos.
A BR-101 também está prejudicada por causa da lentidão na Ponte, apresentando seis quilômetros de retenção, entre as regiões de Niterói e São Gonçalo. No sentido Espírito Santo o fluxo segue sem restrições.

Por Paula Valviesse     O Fluminense