Secretário de Estado de Transporte quer "metrô na linha 3"

Resultado de imagem para Metro

A prioridade do Governo do Estado referente à Linha 3, que irá ligar os municípios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí, permanece sendo o metrô.
secretário de Estado de transportes esclareceu ainda uma confusão feita com um comentário do governador Luiz Fernando Pezão, sobre a rápida saturação, caso o BRT seja usado como alternativa.
Prometida há anos, a Linha 3 é hoje uma das melhorias viárias mais esperadas pela população da Região Metropolitana. O Governo do Estado já falou sobre o anseio de construi-la o quanto antes. No entanto, a dificuldade em conseguir fundos federais para viabilizar a obra tem sido um fator crucial, já que o estado não poderia custear os trabalhos. Apesar disso, o governo não abre mão e se compromete em entregar o que hoje é somente um projeto.
“Não abrimos mão da Linha 3. Esse é um compromisso nosso. O acordo foi o Governo Federal entrar com um bilhão e meio de reais e conceder empréstimo ao estado de mais um bilhão e meio. Seriam três bilhões de reais em recursos públicos e mais de novecentos milhões em investimentos privados. O problema é que esses recursos foram comprometidos no ano passado, devido ao reajuste fiscal. Então estamos aguardando uma confirmação do Governo Federal para adiantarmos a obra”, explica Osório.
Recentemente, além de Pezão informar que o estado não tem dinheiro para realizar a obra da Linha 3, o Governo Federal anunciou a nova etapa do Programa de Investimentos e Logística (PIL) em todo o Estado do Rio de Janeiro, com um valor total de R$ 1,2 bilhão. Mas o secretário fez questão de explicar que esse fundo não pode ser usado nas obras da Linha 3, já que é voltado somente para melhorias na área de logística, e não transportes.
“As verbas para a Linha Três devem vir do PAC da Mobilidade e do PAC Três. Eles ainda não foram abordados e não tiveram valores confirmados. Mas a população da Região Metropolitana não deve achar que esse é um problema da região, pois o mesmo ocorre com as grandes obras de transportes públicos em todo o Brasil, como nos estados de São Paulo e Minas Gerais”, falou o secretário.
Nesta semana, durante viagem inaugural de um trem da Linha 4 do Metrô (que liga Barra da Tijuca a Ipanema), o governador Pezão deu uma declaração que deixou a todos no mínimo preocupados. Ele disse que o BRT, visto como alternativa caso não seja possível a implantação do metrô na Linha 3, ficaria rapidamente saturado em dois ou três anos. O secretário explicou a situação.
“A posição dele é clara. Nós queremos o metrô e ponto final. O que fizemos foi apresentar ao Governo Federal um estudo de sistema de BRTs. Não se pode pensar em substituir a Linha Três pelo BRT, no mesmo traçado, pois realmente saturaria. A alternativa que propusemos foi um sistema de BRTs. Seriam dois. Enquanto um passaria pelo traçado da Linha Três o outro seria pela RJ-104”, finalizou Osório.


Por Guilherme Peixe       AtribunaRj