Tensão no Barreto

Resultado de imagem para comercio fechado no largo do barradas  Niteroi


Comerciantes estabelecidos no Largo do Barradas, no Barreto, Zona Norte de Niterói, tiveram de fechar as portas na manhã de sexta-feira,
segundo eles por ordem transmitida por criminosos envolvidos com o tráfico na comunidade Buraco do Boi. Vários estabelecimentos situados até as imediações do Cemitério do Maruí não abriram as portas.
Segundo comentários, duas mulheres teriam transmitido à ordem dos criminosos para que os comerciantes não abrissem, a princípio sem fornecerem maiores detalhes sobre os motivos, mas havia uma desconfiança que poderia ser por conta da morte de um homem, identificado como Mateus Costa de Souza, ocorrido no fim da noite de quinta-feira. A vítima, de acordo com a PM e a Divisão de Homicídios de Niterói, São Gonçalo, e Itaboraí (DHNSG) foi morto a tiros na Rua Lobo Sarmet, no interior da comunidade e as circunstâncias do crime ainda estão sendo apuradas. O que a polícia apurou seria que a vítima foi cercada e executada por seis criminosos. Na Rua Benjamim Constant, nas proximidades, lojistas também receberam ordens para não funcionarem na sexta-feira. A Escola Professor Wanderley Costa, no Largo do Barradas, não chegou a suspender as aulas pela manhã, mas à tarde decidiram fazer o contrário, como prevenção. Policiais militares do 12º Batalhão reforçaram o patrulhamento na região, e descartaram a versão de que a morte ocorrida na comunidade Buraco do Boi teria sido em decorrência de confronto com alguma guarnição.
Vale lembrar que há cerca de há cerca de um mês criminosos ordenaram que moradores fechassem as pistas da BR-101, na Avenida do Contorno, nas imediações da comunidade Buraco do Boi, em sinal de protesto pela morte de um suspeito em confronto com PMs do 12º Batalhão.

Por Augusto Aguiar            AtribunaRj