Recuperação imobiliária só em 2020 talvez !


O Portal Resumo Imobiliário apontou em um levantamento o recuo de 20% na venda de imóveis, novos ou usados, e a perspectiva apontada pelo canal reforça que 2016 será um ano de poucas vendas.
Apenas em 2020 a relação compra e venda voltará a estar equilibrada. Corretores de imóveis de Niterói confirmam essa pesquisa e apontam muitas dificuldades na venda de casas e apartamentos na cidade durante todo ano.
Segundo dados do Sindicato da Habitação do Rio de Janeiro (SecoviRio), a oferta para venda é grande e a demanda diminuiu pelos efeitos econômicos: inflação, perda de renda, desemprego e alto dos juros, por exemplo. A tática utilizada nesse cenário é queimar os estoques, ou seja, frear os lançamentos e tentar vender todos os imóveis das ‘prateleiras’, como são chamados no segmento. “O concreto hoje é que as vendas caíram e os estoques estão altos nas construtoras. Os lançamentos se reduziram significativamente e as promoções estão acontecendo justamente para tentar reduzir as mercadorias hoje nos estoques. Para 2016 o cenário tende a se repetir. Os lançamentos que ocorrerem devem ser focados em um determinado nicho, com muito estudo antes para evitar mais ainda a elevação dos estoques”, explicou Leonardo Schneider, vice-presidente da SecoviRio.
O levantamento do portal apontou que mesmo com o resultado do ajuste fiscal – que promete trazer um fôlego à economia – a retomada da construção será mais morosa e o equilíbrio deve ser retomados daqui a quatro anos. “Mesmo que em 2017 comece uma retomada da confiança, os imóveis só serão entregues perto de 2020 e, até lá, teremos disparidade entre oferta e demanda em todo o País”, explica o diretor de novos negócios da Construpar, Arnaldo Baptista.
De dezembro de 2014 a novembro de 2015 o Índice FipeZap, que mede os valores dos imóveis nas principais cidades brasileiras, apontou uma desaceleração nas vendas em Niterói: de 30,9% para 26,9%, queda de quatro pontos percentuais. Apenas de março para abril o índice revelou uma variação minimamente positiva de 0,1% nos preços. 
Em Niterói são várias as placas para venda de imóveis e alguns estão anunciados há anos, como nas Ruas Alexandre Moura e Coronel Tamarindo, ambas em São Domingos. “Enquanto vendia quatro imóveis por mês agora não consigo vender nenhum. Tenho imóveis anunciados na imobiliária há meses, outros por anos, e não conseguimos sucesso. Acredito que as pessoas estão com medo de investir ou entrar em um financiamento. Minha única fonte de renda é essa e estou preocupada com o futuro”, apontou Simone Vaz, corretora de imóveis há 10 anos. 
O comerciante Fernando Monteiro, 45 anos, acredita que a aquisição de uma propriedade é o melhor investimento. “Tudo está muito caro e se eu pudesse investiria em um bem para alugar”, finalizou.

Por Raquel Morais                                AtribunaRj