Cratera de cerca de 1,5 metros no Barreto


                      Foto André Redlich

Uma tragédia anunciada está prestes a acontecer em uma das vias mais movimentadas de Niterói. Na Rua Dr. March, no Barreto, na Zona Norte da cidade, na altura do número 302, uma parte do asfalto cedeu e uma cratera de cerca de 1,5 metros se abriu no local, obrigando os motoristas a desviar para não cair no buraco. Além disso, um poste ameaça cair e está tirando o sono dos moradores e das pessoas que precisam passar pela região diariamente. Em outro ponto da rua, uma parte do asfalto também já começou a ceder e preocupa os comerciantes.

Moradores tentaram cobrir o buraco com pedaços de madeira, porém, não adiantou. Moradora da região há mais de 50 anos, a aposentada Marli Souza comenta a situação. “Ninguém olha pelo Barreto, gostaria de saber por que? Passo aqui diariamente e essa situação é um absurdo. Há umas duas semanas atrás, um senhor estava passando e caiu nesse buraco, se não fosse eu para ajudar, ele não teria como se levantar. É necessário que se tome uma atitude urgente”, comenta.

Em outro trecho da via, na altura do número 289, o asfalto também já começou a ceder e preocupa quem passa por ali. O funcionário de uma loja de ração próximo ao local, que preferiu não se identificar, relatou que o asfalto começou a apresentar problemas há cerca de quatro meses. 

Procurada, a Secretaria de Conservação informou que realizou uma vistoria nesta terça-feira (23) no local e que o buraco é responsabilidade da Águas de Niterói (rede de esgoto). A secretaria informou que já solicitou a concessionária que realize o reparo. Com relação ao poste que ameaça cair, a Ampla informou que enviou uma equipe ao local e verificou que a obra realizada pela concessionária de água local na via está impactando o poste mencionado. Em função da obra, o poste não pode ser substituído nesse momento, entretanto, irá entrar no cronograma de manutenção da distribuidora.Já a Águas de Niterói informou que vai enviar uma equipe técnica ao local para verificar o ocorrido. 
Por André Redlich      O Fluminense